Notícias

23/08/2012

Paraná abre diálogo com a União para revisão do programa de concessões

O secretário estadual de Infraestrutura e Logística, José Richa Filho, afirmou nessa quarta-feira (22/08), após reunião em Brasília com a ministra-chefe da Casa Civil, Gleisi Hoffmann, e o presidente da Empresa de Planejamento e Logística (EPL), Bernardo Figueiredo, que foi aberto um canal de diálogo entre o governo federal e o Paraná para que haja entendimento com relação aos trechos ferroviários e rodoviários que cortam o Estado e estão incluídos no Programa de Investimento em Logística – PAC das Concessões.
O encontro na capital federal contou com a participação de dirigentes de entidades do setor produtivo estadual que compõem o Fórum Permanente Futuro 10 Paraná, do secretário de Representação do Paraná em Brasília, Amauri Escudero Martins, e parlamentares da bancada paranaense no Congresso Nacional, além do presidente da Valec, José Eduardo Sabóia Castello Branco, e do secretário-executivo do Ministério dos Transportes, Miguel Misella.
“Este encontro serviu para dirimir dúvidas e esclarecer alguns mal-entendidos, entre eles um erro no desenho do traçado da ferrovia que vem de Maracaju, passa por Cascavel e segue para Mafra”, disse o secretário.
Segundo Richa Filho, um novo encontro vai acontecer nas próximas semanas com a participação de Bernardo Figueiredo e representantes do Paraná. “Será uma reunião técnica para avançarmos no entendimento em relação às prioridades para o desenvolvimento do Estado no setor de logística, mas muita coisa já foi esclarecida”, afirmou.
Segundo ele, o governo federal admitiu que, para os Estados, os trajetos divulgados no lançamento do plano não ficaram claros. No caso do Paraná, foi informado que o ramal ferroviário projetado para ligar Cascavel a Maracaju (MS) passará por Guaíra. Outro esclarecimento prestado é que o trecho a ser concedido entre Cascavel e Guarapuava vai utilizar o atual traçado da Ferroeste.
Além disso, governo federal informou que será feito o estudo de viabilidade técnica, econômica e ambiental para a construção de uma nova ligação ferroviária entre Guarapuava a Paranaguá. “Este projeto contempla aquilo que o Estado reivindicava”, disse Richa Filho. "O Paraná não abre mão do fortalecimento do Porto de Paranaguá".
No encontro, os representantes paranaenses defenderam a inclusão no plano de concessões do trecho da BR-163 entre Cascavel e Barracão, que tem tráfego diário de oito mil veículos e precisa de duplicação. Segundo o governo federal, a rodovia receberá investimentos por meio do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC).
Os deputados federais presentes foram: Osmar Serraglio (coordenador da bancada), Luiz Nishimori, Eduardo Sciarra, Dilceu Sperafico, Alex Canziani, Cida Borghetti, Rosane Ferreira, Andre Vargas, Fernando Giacobbo, Rubens Bueno, Assis Couto e Angelo Vanhoni, além do senador Sergio Souza.
Os representantes da iniciativa privada foram: Darci Piana (Fecomércio), Edson Campagnolo (Fiep), Odone Martins Fortes (Associação Comercial do Paraná), Wilson Portes (Movimento Pró-Paraná), Jaime Sunyê Neto (Instituto de Engenharia do Paraná). Foto: Paulo H. Carvalho/Casa Civil PR
O secretário estadual de Infraestrutura e Logística, José Richa Filho, afirmou nessa quarta-feira (22/08), após reunião em Brasília com a ministra-chefe da Casa Civil, Gleisi Hoffmann, e o presidente da Empresa de Planejamento e Logística (EPL), Bernardo Figueiredo, que foi aberto um canal de diálogo entre o governo federal e o Paraná para que haja entendimento com relação aos trechos ferroviários e rodoviários que cortam o Estado e estão incluídos no Programa de Investimento em Logística – PAC das Concessões.
O encontro na capital federal contou com a participação de dirigentes de entidades do setor produtivo estadual que compõem o Fórum Permanente Futuro 10 Paraná, do secretário de Representação do Paraná em Brasília, Amauri Escudero Martins, e parlamentares da bancada paranaense no Congresso Nacional, além do presidente da Valec, José Eduardo Sabóia Castello Branco, e do secretário-executivo do Ministério dos Transportes, Miguel Misella.
“Este encontro serviu para dirimir dúvidas e esclarecer alguns mal-entendidos, entre eles um erro no desenho do traçado da ferrovia que vem de Maracaju, passa por Cascavel e segue para Mafra”, disse o secretário.
Segundo Richa Filho, um novo encontro vai acontecer nas próximas semanas com a participação de Bernardo Figueiredo e representantes do Paraná. “Será uma reunião técnica para avançarmos no entendimento em relação às prioridades para o desenvolvimento do Estado no setor de logística, mas muita coisa já foi esclarecida”, afirmou.
Segundo ele, o governo federal admitiu que, para os Estados, os trajetos divulgados no lançamento do plano não ficaram claros. No caso do Paraná, foi informado que o ramal ferroviário projetado para ligar Cascavel a Maracaju (MS) passará por Guaíra. Outro esclarecimento prestado é que o trecho a ser concedido entre Cascavel e Guarapuava vai utilizar o atual traçado da Ferroeste.
Além disso, governo federal informou que será feito o estudo de viabilidade técnica, econômica e ambiental para a construção de uma nova ligação ferroviária entre Guarapuava a Paranaguá. “Este projeto contempla aquilo que o Estado reivindicava”, disse Richa Filho. "O Paraná não abre mão do fortalecimento do Porto de Paranaguá".
No encontro, os representantes paranaenses defenderam a inclusão no plano de concessões do trecho da BR-163 entre Cascavel e Barracão, que tem tráfego diário de oito mil veículos e precisa de duplicação. Segundo o governo federal, a rodovia receberá investimentos por meio do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC).
Os deputados federais presentes foram: Osmar Serraglio (coordenador da bancada), Luiz Nishimori, Eduardo Sciarra, Dilceu Sperafico, Alex Canziani, Cida Borghetti, Rosane Ferreira, Andre Vargas, Fernando Giacobbo, Rubens Bueno, Assis Couto e Angelo Vanhoni, além do senador Sergio Souza.
Os representantes da iniciativa privada foram: Darci Piana (Fecomércio), Edson Campagnolo (Fiep), Odone Martins Fortes (Associação Comercial do Paraná), Wilson Portes (Movimento Pró-Paraná), Jaime Sunyê Neto (Instituto de Engenharia do Paraná). Foto: Paulo H. Carvalho/Casa Civil PR
O secretário estadual de Infraestrutura e Logística, José Richa Filho, afirmou nessa quarta-feira (22/08), após reunião em Brasília com a ministra-chefe da Casa Civil, Gleisi Hoffmann, e o presidente da Empresa de Planejamento e Logística (EPL), Bernardo Figueiredo, que foi aberto um canal de diálogo entre o governo federal e o Paraná para que haja entendimento com relação aos trechos ferroviários e rodoviários que cortam o Estado e estão incluídos no Programa de Investimento em Logística – PAC das Concessões.
O encontro na capital federal contou com a participação de dirigentes de entidades do setor produtivo estadual que compõem o Fórum Permanente Futuro 10 Paraná, do secretário de Representação do Paraná em Brasília, Amauri Escudero Martins, e parlamentares da bancada paranaense no Congresso Nacional, além do presidente da Valec, José Eduardo Sabóia Castello Branco, e do secretário-executivo do Ministério dos Transportes, Miguel Misella.
“Este encontro serviu para dirimir dúvidas e esclarecer alguns mal-entendidos, entre eles um erro no desenho do traçado da ferrovia que vem de Maracaju, passa por Cascavel e segue para Mafra”, disse o secretário.
Segundo Richa Filho, um novo encontro vai acontecer nas próximas semanas com a participação de Bernardo Figueiredo e representantes do Paraná. “Será uma reunião técnica para avançarmos no entendimento em relação às prioridades para o desenvolvimento do Estado no setor de logística, mas muita coisa já foi esclarecida”, afirmou.
Segundo ele, o governo federal admitiu que, para os Estados, os trajetos divulgados no lançamento do plano não ficaram claros. No caso do Paraná, foi informado que o ramal ferroviário projetado para ligar Cascavel a Maracaju (MS) passará por Guaíra. Outro esclarecimento prestado é que o trecho a ser concedido entre Cascavel e Guarapuava vai utilizar o atual traçado da Ferroeste.
Além disso, governo federal informou que será feito o estudo de viabilidade técnica, econômica e ambiental para a construção de uma nova ligação ferroviária entre Guarapuava a Paranaguá. “Este projeto contempla aquilo que o Estado reivindicava”, disse Richa Filho. "O Paraná não abre mão do fortalecimento do Porto de Paranaguá".
No encontro, os representantes paranaenses defenderam a inclusão no plano de concessões do trecho da BR-163 entre Cascavel e Barracão, que tem tráfego diário de oito mil veículos e precisa de duplicação. Segundo o governo federal, a rodovia receberá investimentos por meio do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC).
Os deputados federais presentes foram: Osmar Serraglio (coordenador da bancada), Luiz Nishimori, Eduardo Sciarra, Dilceu Sperafico, Alex Canziani, Cida Borghetti, Rosane Ferreira, Andre Vargas, Fernando Giacobbo, Rubens Bueno, Assis Couto e Angelo Vanhoni, além do senador Sergio Souza.
Os representantes da iniciativa privada foram: Darci Piana (Fecomércio), Edson Campagnolo (Fiep), Odone Martins Fortes (Associação Comercial do Paraná), Wilson Portes (Movimento Pró-Paraná), Jaime Sunyê Neto (Instituto de Engenharia do Paraná).

Foto: Paulo H. Carvalho/Casa Civil PR e infográfico Gazeta do Povo)

Fonte: http://www.aen.pr.gov.br/modules/noticias/article.php?storyid=70481&tit=Parana-abre-dialogo-com-a-Uniao-para-revisao-do-programa-de-concessoes

Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.